A eliminação prematura da Alemanha ainda na hora do almoço deixou um recado importante ao Brasil. Na Copa das zebras, o golpe pode vir de onde menos se espera. Era preciso então ter maturidade e segurança para crescer no momento certo. Assim foi feito. É com a credencial de favorita reafirmada que a seleção brasileira chega às oitavas de final para enfrentar o México, na próxima segunda-feira, 2, às 11 horas (horário de Brasília), no quarto passo dos sete necessários para chegar ao hexa. Agora é mata-mata e uma nova Copa começa.

Quando o hino nacional começou a ser executado em Moscou, momentos antes da vitória por 2 a 0 sobre a Sérvia, a força das vozes brasileiras, que entoaram o canto completo a capella, não deixava dúvidas que a seleção fazeria valer seu status de dominante.

A equipe de Tite fez ontem a mais segura das atuações na primeira fase e consolida sua crescente justamente no momento em que a competição se afunila.

Voltar a jogar bem não é certeza de tranquilidade nem de vitória, mas é mais fácil confiar num time que volta ao seu prumo natural do que naquela dos dois primeiros jogos — cheia de tensão, nervosismo e ainda sem passar a confiança que a competição pedia.

Enfrentar o México é melhor do que pegar a Suécia, que mostrou como sabe se fechar e aproveitar os contra-ataques. Prova disso é que os suecos venceram por 3 a 0, em resultado que garantiu aos europeus a liderança do Grupo F. Além disso, fecharam a chave com a melhor defesa — foram só dois gols sofridos, enquanto o México levou quatro. Os mexicanos, comandados por Juan Carlos Osório, possuem estilo parecido, mas que cede mais espaços e com um jogo que encaixa melhor ao estilo do brasileiro do que seriam os europeus.

Aos mais supersticiosos, o retrospecto também garante tranquilidade. Nos quatro encontros contra os mexicanos em Copas do Mundo, foram três triunfos brasileiros e um empate. Os norte-americanos não conseguiram marcar um gol sequer.

Com a força e a maturidade demonstradas ontem, a seleção brasileira chega à fase eliminatória com uma defesa consistente, um meio de campo que voltou a funcionar e um ataque talentosamente funcional.

O sonho do hexa segue mais que vivo e a próxima parada agora é em Samara. Que a Alemanha, derrotada pelo México, sirva de lição para que Neymar e cia não relaxem.

 4

Vezes o Brasil já enfrentou o México em Copas. Foram três vitórias e um empate

 221

Minutos que o Brasil não sofre gol. A defesa só foi vazada aos 4 do 2º tempo no empate em 1 a 1 contra a Suíça, na estreia

 PENDURADOS

 Casemiro, Neymar e Phillipe Coutinho são os jogadores brasileiros que estão pendurados. Caso sejam advertidos com amarelo contra o México e o Brasil vença, estarão fora do duelo de quartas de final.

 MARCELO

 O lateral esquerdo deixou o campo logo aos nove minutos, após sentir um espasmo na coluna. Ele foi substituído por Filipe Luís e será reavaliado para saber se terá condições de enfrentar o México.

 

Núcleo de Rádio Jornalismo Asa Branca AM e FM

Fonte: O POVO

 

Compartilhe:

Deixe seu comentário

Mural de recados

Carrega

    Nenhum comentário encontrado

Enquete

Como está a administração pública em Boa Viagem?

Top 10

  • Gusttavo Lima

    Apelido Carinhoso

  • Léo Magalhães

    Oi

  • Eduardo Costa

    Saudade

  • Marília Mendonça

    De quem é a culpa?

  • Simone & Simaria

    Paga de Solteiro Feliz

  • Jorge & Mateus

    Contrato

  • João Neto Pagadão

    Amor falso

  • Wesley Safadão

    Ar condicionado no 15

  • Fernando Pisadinha

    Ela não larga eu

  • Amado Batista & Duda

    Desligue o celular